PLANOS DE CLIVAGEM: UMA ABORDAGEM SOBRE O OLHAR

Clivagem é a propriedade inerente a certos cristais de ao se romperem obedecem a planos que correspondem a novas faces de cada um dos fragmentos obtidos. A cada quebra, uma nova face fica exposta, refletindo também um novo ângulo. Assim, e buscando o que de mais imediato suscita a imagem do cristal, podemos dizer que suas propriedades e sua aparência equivalem ao olhar, e que essa característica potencial de multiplicar-se, através de clivagens, indefinidamente, assemelha-se também às incontáveis possibilidades desse olhar.

Através desse paradigma do cristal e relendo o primeiro capítulo A inelutável cisão do ver da obra O que vemos o que nos olha, de Georges Didi-Huberman, o texto procura desenvolver uma reflexão a respeito do olhar, citando diferentes manifestações como a literatura, a música e as artes plásticas.

 

 

Clique aqui para ler o texto completo